Sertões

(Ao vivo no SESC Belenzinho, São Paulo – Julho de 2012 / Filmado por Alex Nunes)

Sertões (Ricardo Koctus)

E
Não faço conta do tempo perdido

Que o tempo só passa

Não volta pra trás

Não leio as linhas

As linhas são retas

Os versos, poemas

Dilemas são mais
A
Os contos disfarçam

A vida sofrida, corrida
E
Dos nossos velhos pobres pais

Não corto as cordas

Porque sobre elas estão os meus pés

Me admira o céu é o limite

Destino, castigo em qualquer lugar
A E
Bendito seja com toda certeza
A
Não há o gente ó não
E
Luar como esse do sertão
A
Não há ó gente ó não
E
Também vida sofrida

ctrl+z

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: